Festival de Tecido

II Portal Educap

ORIGEM DAS MÁSCARAS DE CARNAVAL
 
            O mais antigo registro do uso de máscara que se tem notícia foi deixado nas paredes da caverna de Lascaux, na França, mostrando caçadores mascarados com cabeças de animais. Era uma forma de o homem adquirir as forças destes animais e assim garantir o sucesso da caça.
             No começo, a máscara estava ligada a rituais religiosos de tribos, principalmente africanas, e representava deuses e espíritos. Também era usada em guerras, como forma de dar força ao guerreiro e assustar os inimigos.
            No Egito, ela era usada em funerais, como as famosas máscaras dos faraós. Podemos pensar portanto, que a primeira função da máscara estava ligada a um poder mágico que acreditavam que ela possuísse.
            A máscara começou a ser utilizada como acessório de festa no Oriente, em danças e procissões, com a intenção de misturar o ritual e o divertimento.
            Na Grécia e Roma antiga, era usada no teatro, para caracterizar personagens (aliás, a palavra maschera em italiano deriva do  latim: persona).
Foi no século XV,em Veneza, Itália, que a máscara começou a ser usada no Carnaval. O uso começou no teatro italiano, na commedia dell’arte, ou comédia das máscaras, que criou os famosos personagens Arlequim, Pierrô e Colombina, entre outros.
            Durante o carnaval veneziano, aconteciam os bailes de máscaras e os luxuosos desfiles de fantasias, que existem até hoje. Desse modo, a máscara representa o espírito do Carnaval, onde todos podem colocá-la para cair na folia. Ela pode ser feita de diversos materiais, tais como cortiça, pasta de papel, folha de flandres, folha de alumínio, tecido, latas, caixas de cartão, fitas, materiais recuperados e etc.
 
FUNÇÕES DA MÁSCARA
 
            Ás vezes a máscara deixa de ser um mero adereço e passa a se tornar um símbolo de caráter enganoso. Vemos isso nas histórias em quadrinhos a máscara não esconde somente a identidade, mas transforma a vida de quem a possui. Os super-hérois colocam as máscaras e se transformam naquilo que não são na frente dos outros.           A máscara é um modo de disfarce que não faz as pessoas saberem quem somos nós (esconde a identidade).
            Pode-se dizer que as máscaras representam uma espécie de mediação entre os homens e o mundo invisível.
 
PARA SE PENSAR...
 
            Sob a máscara tudo se oculta - o Bem e o Mal. Tanto usam máscara o Zorro e o Superman como os ladrões e os terroristas. Podemos pensar que de certo modo todos usamos máscaras. Sorrimos quando nos dão uma bofetada, choramos para obtermos o que pretendemos. Usamo-nas para parecermos mais fortes do que somos, falamos mais alto do que os outros para os atemorizarmos, mostramos os nossos mísseis para paralisar de medo o inimigo, fazemos ar sonso para fingirmos que nem um prato seríamos capazes de partir, publicamos fotografias antigas para escondermos a idade, e que mais? Mas não era possível andarmos nus na rua, nós, os mais indefesos animais da Criação. Sem máscara, não conseguiríamos segurar as lágrimas nem o riso, seríamos incontinentes emocionais, o que nos deixaria à mercê da predação social.
            A máscara é uma arma que pode ser usada para defesa ou ataque. A máscara da nossa própria cara, é a que a vida em sociedade exige. Se nos descuidamos, de repente pode cair, e com ela, sabe-se lá? - pode cair o tudo o que em nós não passa de fragilidade, pânico, impotência e presunção.
 

Agenda

Novembro / 2017

02 - Feriado - Finados

03 - Aulas nornais

05 - Provas Enem: Linguagens / Redação / Ciências Humanas

08 - Festival de Ginástica e Tecido Acrobático - NOVA DATA 24/11

10 - Estudo do Meio - 6º Ano - Serra do Japi

12 - Provas Enem: Ciências da Natureza / Matemática

    15 - Feriado - Proclamação da República

    16 - Divulgação do gabarito das provas do Enem

    20 - Feriado - Consciência Negra

    24 - Festival de Ginástica e Tecido Acrobático - 20:00h - Aberto ao público